Cientistas desenvolvem óvulos humanos em laboratório até a maturidade pela primeira vez

Noticiado pela agência de notícia internacional – Reuteus, nesta sexta feira – 09 de fevereiro, que cientista conseguiram desenvolver óvulos humanos a partir de tecido ovariano de mulher.
Segundo  Portal G1 de notícias :

Pela primeira vez  foi desenvolvido óvulos humanos em laboratório desde os estágios iniciais até a total maturidade, quando estão prontos para serem fertilizados – uma descoberta que pode ajudar a desenvolver novas terapias regenerativas e tratamentos contra a infertilidade.

O experimento foi realizado por pesquisadores do Reino Unido e dos EUA, que publicaram os resultados na revista científica “Molecular Human Reproduction” nesta sexta-feira (9).

Os óvulos foram desenvolvidos a partir do tecido ovariano de dez mulheres. Dos 48 óvulos que atingiram o penúltimo estágio do processo, nove chegaram à maturidade total.

Imagens aumentadas mostram óvulos humanos em diferentes fases de desenvolvimento (Foto: Prof. Evelyn Telfer e Dr. Marie McLaughlin/Universidade de Edinburgo via Reuters )

Imagens aumentadas mostram óvulos humanos em diferentes fases de desenvolvimento (Foto: Prof. Evelyn Telfer e Dr. Marie McLaughlin/Universidade de Edinburgo via Reuters)

Estudos anteriores já haviam obtido o mesmo resultado em ratos: foram criados óvulos desses animais em laboratório até o estágio em que eles produziram descendentes vivos.

Já em humanos outras equipes tinham conseguido atingir diferentes estágios de desenvolvimento do processo, mas é a primeira vez que se consegue desenvolver os mesmos óvulos do estágio inicial até o ponto em que poderiam ser liberados pelos ovários e fertilizados (a maturidade total).

“Ser capaz de desenvolver completamente óvulos humanos em laboratório pode ampliar o escopo dos tratamentos de fertilidade existentes. Estamos agora trabalhando em melhorar as condições dos óvulos humanos durante seu desenvolvimento e estudando o quão saudáveis eles são”, disse Evelyn Telfer, coautora do trabalho, que foi conduzido por pesquisadores de dois hospitais em Edinburgo (Escócia) e do Centro de Reprodução Humana de Nova York.

Repercussão

Especialistas que não estão ligados diretamente ao estudo comentaram que o trabalho é importante, mas alertaram que há muito a ser feito antes que os óvulos criados em laboratório podem ser usados com segurança para serem fertilizados com esperma.

“Esses dados sugerem que isso pode ser muito factível no futuro”, diz Ali Abbara, pesquisador experiente da área de endocrinologia do Imperial College London. “Mas a tecnologia ainda está em um estágio inicial, e há muito a ser feito para garantir que a técnica é segura e que os ovos permanecerão normais durante o processo, formando embriões que levem a bebês saudáveis”, disse.

Para Darren Griffin, professor de genética da Universidade de Kent no Reino Unido, o trabalho foi um “avanço técnico impressionante”.

Se for comprovada sua segurança e seu sucesso, afirma, pode ajudar no futuro pacientes de câncer que querem preservar sua fertilidade antes de passarem por quimioterapia, melhorar os tratamentos contra infertilidade e aprofundar a compreensão da biologia dos primeiros estágios da vida humana.

Fonte : https://g1.globo.com/bemestar/noticia

Infertilidade Masculina: Quais as principais causas ?

Diferente do que muitas pessoas pensam, as causas masculinas para infertilidade podem corresponder a 50% dos casos de infertilidade nos casais, cabendo os outros 50% às mulheres.

Espermograma é um exame fundamental para que seja direcionada a avaliação médica do homem e ele pode conter alterações como :

  • Azoospermia ( não encontrar espermatozóide no espermograma)
  • Oligozoospermia ( encontrar pouco espermatozóide no espermograma)
  • Teratozoospermia (alteração da morfologia do espermatozóide no espermograma)
  • Sêmen normal, porém com alta fragmentação de DNA no espermatozóide

Inúmeras doenças podem justificar tais alterações seminais. São elas : 

  • Varicocele
  • Alterações Hormonais
  • Alterações Genéticas
  • Infecções dos testículos e epidídimos
  • Obesidade, tabagismo, consumo de drogas, além hábitos de vidas que não sejam saudáveis.

Sempre importante uma ampla avaliação médica do casal, não ficando restrito a avaliação masculina ao espermograma.

O cuidado na saúde do homem é fundamental, para que isso possa levar a melhora da qualidade seminal, na tentativa de alcançar o ideal da gravidez natural.

Muito Obrigado

Dr. Igor Faria Dutra

 

“Me solicitaram dosagem do Hormônio Antimulleriano” – Pra que serve ?

O hormônio antimulleriano (AMH) foi descoberto em 1940, é uma glicoproteína e costuma ter seus níveis aumentados na puberdade e indetectáveis na menopausa.

Este hormônio é produzido pelas células da granulosa, que compõem os folículos pré-antrais e antrais pequenos.

O que isso significa ?

Significa que os folículos ovarianos antes de serem recrutados pelos ovários para seu amadurecimento, crescimento e posterior ovulação; eles produzem hormônio antimulleriano (AMH).

Sim. E daí ?

Dessa maneira é possível predizer a reserva de folículos ovarianos que as pacientes possuem, antes mesmo destes folículos crescerem e promoverem a ovulação. Dessa maneira o AMH pode mensurar a reserva ovariana, principalmente associado a realização de contagem de folículos antrais, através da ultrassonografia transvaginal.

Então, sempre que tiver um AMH alto, quer dizer que posso engravidar facilmente?

Não. É necessário uma avaliação individual do paciente, uma vez que mulheres com Síndrome do Ovário Policístico podem apresentar valores elevados de AMH e ainda assim apresentarem um quadro de infertilidade. Uma avaliação ampla da mulher deve ser realizada.

Resumindo :

  • AMH é coletado por amostra sanguínea.
  • Pode ser coletado em qualquer dia do ciclo para avaliação de reserva ovariana.
  • Associado a contagem de folículos antrais (CFA) pela ultrassonografia é considerado um importante preditor de reserva ovariana.
  • Pode ser considerado um importante marcador pra resposta ovariana ao tratamento de reprodução assistida, porém nem sempre é um preditor de taxa de gravidez em ciclos de FIV.
  • Na prática clínica, pode ser considerado valores de AMH de 1,0 ng/ml e 3,0 ng/ml  para a identificação de possíveis pacientes classificadas como pobre respondedora e hiper-respondedoras a estimulação ovariana controlada, respectivamente.
  • O AMH pode auxiliar na minimização de risco de Síndrome de Hiperstimulo Ovariano, através da elaboração de protocolos mais adequados, ou promovendo melhor resposta ovariana à estimulação ovariana controlada.

Ressalto a importância de consulta médica com especialista para individualização de casos e para elucidação de dúvidas sobre o tema.

Fonte : Tratado de Reproducão Assistida – SBRH – 3ª edição

Muito Obrigado

Dr.Igor Faria Dutra

 

O Diagnóstico de Câncer pode acabar com o sonho de ter filhos ?

No mês de outubro em todo mundo ocorre a campanha de conscientização para o diagnóstico precoce do câncer de mama – Outubro Rosa.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer),  o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano.

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. O autoexame de mama regular é o primeiro passo para combater essa doença tão prevalente no mundo.

Apesar de ser raro em mulheres jovens e em idade fértil, o tratamento do câncer de mama, como muitos outros câncer, costumam  ser tóxico para as gônadas (ovários nas mulheres e testículos nos homens), podendo levar a infertilidade, porém o sonho de ter filhos não deve ser encerrado neste momento.

Nesse sentido, além do diagnóstico precoce, a preservação da fertilidade deve ser realizada sempre, para mulheres em idade fértil.

E como pode ser realizada a preservação da fertilidade ?

  •  Congelamento de embriões
  • Congelamento de óvulos / sêmen ejaculado
  • Congelamento de tecido ovariano / tecido testicular (pré púberes)

Quando falo em congelar embriões e óvulos, significa dizer que a mulher deverá ser submetida a tratamentos de estimulação ovariana e posteriormente à punção de folículos ovarianos para coleta de óvulos. Todo este procedimento deverá ser realizado o mais breve possível e antes  do uso de drogas quimioterápicas (tóxicas para as gônadas), podendo ou não ser realizado após procedimentos cirúrgicos, conforme individualização de casos.

O Congelamento de tecido ovariano e testicular ainda não é amplamente realizado no mundo, porém vêm crescendo a cada ano e possui suas indicações muito bem especificadas.

Habitualmente a opção de congelar embriões é feita para mulheres e homens casados. Para mulheres jovens sem parceiros ou solteiras, o ideal é o congelamento de óvulos. Vale ressaltar que é necessário uma ampla discussão entre médico e paciente para definir a melhor forma de preservar a fertilidade.

Muito importante conversar com seu médico sobre a preservação da fertilidade. Hoje o câncer de mama quando diagnosticado precocemente têm altas taxas de cura, preservar a fertilidade também  é preservar a vida.

Muito Obrigado

Dr. Igor Dutra

Espermograma é atestado de fertilidade ?

Categoricamente a resposta é não.

O espermograma é a principal ferramenta na avaliação do potencial fértil do homem porém a avaliação masculina não se resume apenas a este exame.

É de extrema importância uma avaliação ampla do homem:

  •  Histórico de doenças;
  • Hábitos de vida (tabagismo, consumo de bebida alcoólica,  drogas, atividade física, etc…);
  • Avaliação física (obesidade, varicocele, criptoorquidia, volume testicular,  etc…);

Em 2010 a OMS (Organização Mundial de Saúde) publicou a última edição de um manual que teve o intuito de padronizar a análise laboratorial do sêmen e fornecer valores de referência para classificar o homem fértil. Laboratórios que seguem esse manual, costumam trazer maior confiabilidade em seus resultados na prática clínica.

Mais importante que definir valores dentro das referências determinadas pela OMS, é realizar avaliação global do homem. Atualmente  inúmero estudos vêm mostrando que análises funcionais do sêmen, como a avaliação da fragmentação de DNA, pode estar alterada em homens que possuem espermograma normal. O manual de 2010 não contempla esse tipo de informação, portanto uma cuidadosa avaliação médica deve ser realizada para que o melhor tratamento possa ser oferecido ao casal.

Procure um médico especialista e tire suas dúvidas sobre espermograma e fragmentação de DNA.

Obrigado

Dr. Igor Faria Dutra

Fonte: www.who.int

Futuro: Vacina contra o Zika Vírus.

Segundo notícia publicada no portal G1, recentes estudos para criação de vacina contra o Zika Vírus, direcionam em breve para uso em humanos.

Segundo o portal G1 de notícias :

“Duas vacinas contra zika, ainda em fase de testes, foram capazes de proteger os fetos de fêmeas de camundongos grávidas infectadas pelo vírus. Resultados do experimento, que teve a participação de pesquisadores do Instituto Evandro Chagas, do Pará, foram publicados na revista especializada “Cell”.”

”A pesquisa, que também envolveu pesquisadores da Universidade de Washington, da Universidade do Texas e do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID) dos Estados Unidos, avaliou dois tipos diferentes de vacinas de zika experimentais: uma vacina feita a partir de RNA mensageiro modificado, desenvolvida pela empresa Moderna Therapeutics, e uma vacina de vírus vivo atenuado, desenvolvida em parceria entre o Instituto Evandro Chagas e a Universidade do Texas.”

Segundo a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM), os cuidados em relação ao Zika incluem :

1. Mulheres e homens que têm doença do vírus Zika devem esperar pelo menos 6 meses após o início da doença para tentar a reprodução e devem evitar o contato sexual íntimo ou usar preservativos durante os mesmos 6 meses.

2. Mulheres e homens com possível exposição ao vírus Zika, mas sem doença clínica consistente, devem considerar testar o RNA viral Zika dentro de 2 semanas após a suspeita de exposição e aguardar pelo menos 8 semanas após a última data de exposição antes de ser testado de novo .

3. Mulheres e homens que residem em áreas de transmissão ativa do vírus Zika devem conversar com profissionais de saúde sobre a tentativa de reprodução e evitar a exposição a picadas de mosquito.

4. Atualmente, não há evidências de que o vírus Zika fará infecção congênita em gravidezes iniciadas após a resolução de viremia de  Zika  materna.

5. As discussões sobre o calendário da gravidez devem ser individualizados e devem incluir informações sobre os sinais e sintomas da doença do vírus Zika e os possíveis efeitos adversos associados à infecção do vírus Zika na gravidez.

Fonte de texto e imagens: www.asrm.org / www.g1.globo.com 

Sempre procure um médico especialista para maiores explicações sobre o tema.

Obrigado

Dr. Igor Faria Dutra

Uso da nanotecnologia na reprodução assistida.

O futuro já começou! Uso de nanotecnologia para realização do ICSI ( injeção intracitoplasmática de espermatozóides) na técnica de reprodução assistida. No vídeo podemos ver o robô sendo usado para levar o espermatozóide até o óvulo! Fantástico! Será que um dia usarmos essa tecnologia na rotina dos tratamentos ?

Fonte: @machinepix (Instagram)

Um nanorobô pega um esperma pela cauda e injeta em um óvulo, procedimento realizado pelo pelo Instituto de Nanociências Integrativas da Alemanha.