Tabagismo afeta a fertilidade ?

A resposta categoricamente é Sim.

Inúmeros estudos mostram o impacto do tabagismo na saúde reprodutiva de mulheres e homens. Baseado nesses estudos a ASRM (American Society for Reproductive Medicine) emitiu uma opinião sobre o tema após revisão a literatura científica sobre a questão.

 Atraso na gravidez – O fumo ativo foi associado a uma maior incapacidade de conceber dentro das durações de estudo de 6 e 12 meses. Aumento do atraso na concepção correlacionada com o aumento do número diário de cigarros fumados. A porcentagem de mulheres que experimentaram atraso de concepção por mais de 12 meses foi 54% maior para os fumantes do que para os não fumantes. O fumo ativo por qualquer parceiro teve efeitos adversos e o impacto da exposição passiva do fumo de cigarro sozinho foi apenas um pouco menor do que o fumo ativo por qualquer parceiro.

Efeitos nos parâmetros do sêmen – A diminuição da concentração de espermatozóides em média foi de 22% e dependente da dose. O uso de tabaco sem fumo também tem um efeito negativo dependente da dose em múltiplos parâmetros de sêmen. Embora as concentrações de espermatozóides, motilidade e / ou morfologia sejam muitas vezes reduzidas em comparação com os resultados observados em não fumantes, eles geralmente permanecem dentro do intervalo normal. No entanto, as evidências disponíveis sugerem que o tabagismo pode ter efeitos adversos na função do esperma com base em um estudo envolvendo o teste de penetração de ovos de hamster.

Mutações genéticas – O dano no DNA do gameta pode causar muitos dos efeitos reprodutivos adversos reconhecidos do tabagismo, como abortos espontâneos aumentados, início acelerado da menopausa e redução da fecundidade. Os aumentos nos defeitos congênitos foram relatados entre os descendentes de pais fumantes, mas os efeitos teratogênicos da fumaça de cigarro durante a gravidez confundem se o dano do DNA nos gametas pode desempenhar um papel.

Efeitos do tabagismo materno na descendência masculina – Um estudo epidemiológico para identificar a causa da diminuição da contagem de esperma em homens dinamarqueses versus finlandeses sugeriu um efeito do tabagismo materno. Depois de ajustar por fatores de confusão, homens cujas mães haviam fumado mais de 10 cigarros por dia apresentavam menor densidade de esperma do que homens com mães que não fumavam. O tabagismo paterno não estava relacionado aos parâmetros do sêmen da prole. É possível que esses efeitos sobre descendentes masculinos possam ser mediados por cadmio ou outros contaminantes da fumaça de cigarro. Juntamente com uma redução na fecundidade e efeitos iniciais da gravidez, esses efeitos na progênie podem aumentar substancialmente a carga reprodutiva adversa geral do tabagismo.

Resumindo
– 13% da infertilidade pode ser atribuída ao tabagismo.
– Fumar parece acelerar a perda de função reprodutiva e pode avançar o tempo da menopausa em 1 a 4 anos. 
– Existe uma boa evidência de que os parâmetros do sêmen são 22% piores nos fumantes do que nos não-fumantes.
– Há evidências de que fumar está associado a riscos aumentados de aborto espontâneo e gravidez ectópica. 
– Fumantes exigem quase o dobro do número de tentativas de FIV para conceber como não fumantes
Fonte : ASRM.ORG
Obrigado
Dr. Igor Faria Dutra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s